SBT - Sistema Brasileiro de Televisão
Amor e Revolução

Patrícia Dejesus: "Fico feliz por participar dessa obra genial e audaciosa"

Postado por Patrícia Dejesus - (10/7/2011 às 14:30)

Autor: Patrícia DejesusOlá queridos!
Sou Patrícia Dejesus, a Nina Madeira de Amor e Revolução. Essa é minha quinta novela e a segunda no SBT.

Começo agradecendo o carinho de todos vocês e dizendo que estou muito feliz por participar dessa obra genial e audaciosa do nosso querido Tiago Santiago. É uma honra fazer parte dessa equipe escalada para dar vida a essa trama que se passa numa época tão conturbada da história do nosso país. E, como muitos de vocês sabem, passamos por palestras, treinamentos, nos envolvemos de verdade com tudo que foi mostrado até agora e que ainda está por vir.

Amor e Revolução conta uma história de amor, mas carrega a importante missão de nos situar, conscientizar. Nos faz discutir, questionar. Eu mesma não tinha muita noção do que foi a ditadura no Brasil e confesso que ouvir os depoimentos, ler alguns livros, assistir documentários me fizeram ter maior consciência da responsabilidade que é viver Nina, minha personagem mais intensa! Tanto que, gravando a primeira cena do primeiro capítulo (a morte da Cléo) eu não parava de tremer rs.

A cada dia uma nova emoção. Temos muito pela frente ainda e garanto que ação não vai faltar... principalmente para Nina e Telmo!

Continuem ligados em Amor e Revolução!!!

Beijo à todos e um especial aos que me acompanham no Twitter!!! @pathydejesus

TwitterFacebookCompartilhe

12 comentários |

´Marta é apaixonada pela essência, não pelo rótulo´

Postado por Dani Moreno - (9/24/2011 às 15:10)

Autor: Dani Moreno"A primeira novela a gente nunca esquece". Foi o que os veteranos me disseram quando cheguei no SBT. E eles têm toda razão. Amor e Revolução se torna um marco em minha vida! Tanto como atriz, quanto como ser humano. As pessoas me perguntam constantemente: "Você não ficou com medo interpretar uma lésbica?" Fiquei com medo de não ser verdadeira; de não emocionar; de não acreditarem naquela personagem; de não fazer um trabalho honesto e verdadeiro. Me assustou construir uma personagem dentro de uma época que não conheci. Estudei muito! Li livros, assisti a filmes, conversei e ouvi muitas pessoas que viveram a ditadura, ouvi muita música enquanto lia meus textos: Chico, Caetano, Elis, Gil, Belchior, Vandré e tantos outros... Decidi que Marta seria forte, densa, intensa, estrategista e manipuladora. Apaguei completamente o fato de ela ser apaixonada por uma mulher. Marta é apaixonada por uma pessoa sensível, delicada, sonhadora, batalhadora e apaixonada pela vida - Bete. É uma mulher. Sim! E daí? O que mais me encantou na Marta foi isso. Ela é apaixonada pela essência, não pelo rótulo. Rótulos me irritam - e à Marta também! Construir um ser, uma personagem, vai muito além do rótulo. Trabalhar com sentimentos vai muito além de tudo isso e Marta me permitiu evoluir! Obrigada à todos que participam dessa jornada comigo.

TwitterFacebookCompartilhe

26 comentários |

"Me assustei ao saber que ia interpretar um padre"

Postado por Pedro Lemos - (9/11/2011 às 14:48)

Autor: Pedro LemosAmor e Revolução é minha primeira novela, mas não só por isso, me entusiasmo ao falar dela.

O SBT é uma casa muito acolhedora, o time responsável por levar a obra até vocês é de primeira linha, tanto profissional, quanto pessoalmente e o tema ditadura sempre mexeu comigo. Além disso, meu primeiro papel numa novela é este incrível padre Inácio, cheio de conflitos e decisões a serem tomadas. De fato, um personagem muito rico e cheio de possibilidades. Me assustei, de início, ao saber que tinha sido escalado pra interpretar um padre e, talvez, por isso, tenha acatado este desafio com tamanha dedicação.

Precisava tornar crível o fato de um homem com cara de menino vestir uma batina e servir de conselheiro espiritual do protagonista, José, vivido pelo Claudio Lins. Ganhei a parceria do Diogo Picchi, que, com certeza, me ajudou muito pra que existisse um jogo interessante entre os dois padres, tão opostos, mas tão amigos. Contracenei com verdadeiros conhecedores desta arte, atores de uma categoria inspiradora, gente que me surpreendeu mais ainda pela humildade e pela generosidade ao acolher os mais novos, menos experientes. Enfim, fui feliz no SBT. Fiz amigos pra sempre. Eu levo fé que este trabalho, o do ator, o da entrega, tende a criar fortes laços de amizade e amor.

TwitterFacebookCompartilhe

26 comentários |

"Ele conseguiu tirar o peso do preconceito e se permitir investigar sua sexualidade"

Postado por Carlos Artur Thiré - (6/10/2011 às 19:04)

Autor: Carlos Artur ThiréInterpreto o diretor do Grupo de Teatro da novela, e na vida real também sou diretor teatral. Então interpretar o Duarte é dirigir atuando, ou, atuar dirigindo. O engraçado disso tudo é que pessoalmente eu sou muito mais teatral quando estou dirigindo do que quando estou atuando. Deu pra entender?...
 
Portanto, o CHICO DUARTE é um presente que Tiago Santiago me deu. Primeiro por pertencer a uma obra que conta a história do país. Segundo porque DUARTE tem um conflito interno, pessoal, difícil. No qual muita gente se identifica. Porque é um assunto difícil de lidar. E que está sendo posto para fora ao longo da trama. Isto dá margem a desafios. DUARTE começou namorando a MIRIAM, e sempre que tomava um pileque, dava em cima dos garotos do grupo. Agora ele assumiu que é homossexual. E levanta sua opção por assumir, como uma bandeira libertadora. Ele conseguiu tirar o peso do preconceito dos ombros e se permitir investigar sua sexualidade. No caso, seu homossexualismo. E com isto, ele descobrir o amor.

Agora o que o DUARTE mais quer é por esta sua experiência de libertação, na arte, através do espetáculo que está criando com MÁRIO.
 
Através deste blog, vocês podem me auxiliar a acertar cada vez mais a mão do meu trabalho. Comentem.
 
E: eu não fazia novela há 12 anos. A parte da convivência com os colegas e com o público neste trabalho está sendo uma delícia. Que equipe unida! Quanto prazer em ir trabalhar. Isto é uma benção. Foi o prazer, aliado ao profissionalismo, com os quais o Madureira, o Boury e o Tiago nos receberam, na primeira semana de workshop. Impregnaram o bom clima nos bastidores para toda a novela.

TwitterFacebookCompartilhe

125 comentários |

"Está sendo uma experiência maravilhosa"

Postado por Thaynara Bergamim - (5/22/2011 às 15:00)

Autor: Thaynara BergamimInterpretar Alice Fiel está sendo uma experiencia maravilhosa, embora não seja no "País das maravilhas" e sim recordar um passado negro. Com o desaparecimento de seus pais e morando em lugar estranho Alice aprendeu a se virar sozinha com a responsabilidade de cuidar de sua irmã Lara. Agradeço a toda equipe da novela "Amor e Revolução" e todos os amigos do SBT.

Fiquem com Deus.

TwitterFacebookCompartilhe

341 comentários |

"Minha primeira novela, um drama, um grande aprendizado"

Postado por Bruna Carvalho - (5/6/2011 às 22:15)

Autor: Bruna CarvalhoInterpretar Lara Fiel com certeza, para mim, é um grande aprendizado. Apesar de falar muito pouco, Lara é uma criança, mais nova do que eu, e muito sofrida. Estudei muito a personagem, para entender como uma criança vivia em 1964, diferente de hoje (sem computador... hehehe). Agradeço muito ao Reynaldo Boury por ter me escolhido, ao Tiago Santiago por ter criado a personagem Lara Fiel e a Márcia Ítalo, minha "coaching" que me prepara a cada cena. Aprendi viver a cena e me colocar no lugar de Lara, assim consigo expressar emoção, praticamente sem fala, de uma criança arrancada dos pais.

TwitterFacebookCompartilhe

893 comentários |

"Acho importante debater este tema", diz Giselle Tigre sobre beijo

Postado por Giselle Tigre - (5/4/2011 às 22:15)

Autor: Giselle TigreAmor e Revolução é minha segunda novela, embora já trabalhe como atriz de teatro desde 1986. Nasci em Pernambuco e moro no Rio de janeiro há 11 anos. Estava em cartaz no Rio ano passado com o musical infantil Agora é Tempo quando fui convidada para participar do elenco da novela.

Assim como minha personagem, a dona do jornal O Brasileiro, sou também jornalista. Imagino como foi importante o papel da imprensa na época do governo militar, apesar da forte censura que houve na época. Como foram corajosos alguns meios de comunicação da época por travarem junto com artistas e intelectuais engajados na luta, alguma forma de resistência em favor da liberdade de expressão e pensamento. Não posso imaginar o que é viver sem esse direito.

Além de liberal e determinada a Marina se mostrará uma mulher apaixonada não medindo esforços em busca de sua felicidade afetiva. Passará pela cabeça dela, inclusive, romper as barreiras do preconceito quando descobrir que sua melhor amiga, a advogada Marcela, sente paixão por ela. Acho importante debater este tema também. Afinal, se estamos falando em liberdade cabe a cada um de nós refletirmos para aprender a conviver com as diferenças e lutar sempre pelo direito de cada um ser quem é.

Espero que a novela marque a história da teledramaturgia pela coragem e ousadia de falar sobre um tema que há pouquíssimo tempo era proibido. Meu maior desejo é a apreciação dos telespectadores. Viva a liberdade e a tolerância!! Recordar a época da ditadura é resistir mais uma vez para que as futuras gerações jamais tenham que passar por isso novamente.

TwitterFacebookCompartilhe

1260 comentários |

"Penso muito na Leila Diniz", diz Joana sobre sua personagem

Postado por Joana Limaverde - (4/26/2011 às 22:10)

Autor: Joana LimaverdeParticipar de Amor e Revolução tem sido muito mais que fazer uma novela. O tema por si só já é bastante contundente e importante de ser tratado agora e sempre que necessário para informar as novas gerações e relembrar a história do nosso país.

Não bastasse isso, Stela Lira, atriz de teatro, militante de esquerda, também representa um momento definitivo para as mulheres. Estava surgindo entre guerras e guerrilhas políticas e sociais a revolução sexual que veio libertar a mulher entre os anos 60/70 e apresentá-la a uma nova realidade: com direito de escolha e novas opções no mercado de trabalho, na vida afetiva e sexual.

Penso muito na Leila Diniz, musa do cinema brasileiro e ícone dessa liberdade feminina. Penso nas mulheres guerrilheiras, nas atrizes que passavam ainda por muito preconceito por seguirem a carreira artística naquela época.

Enfim, um momento muito rico culturalmente falando, nas artes em geral, na política, nos costumes, na nova ordem mundial. Só posso realmente agradecer ao Tiago Santiago, ao Reynaldo Boury e equipe por me confiarem uma personagem tão maravilhosa.

E continuem assistindo Amor e Revolução... muitas emoções estão por vir!

TwitterFacebookCompartilhe

154 comentários |

"Após dez anos afastada das novelas, estou de volta! E que volta!!!"

Postado por Patricia de Sabrit - (4/15/2011 às 22:00)

Autor: Patricia de SabritOlá !!!

Após dez anos afastada das novelas, estou de volta! E que volta!!! Em um projeto que nasceu na cabeça do Tiago Santiago há tanto tempo... Que responsabilidade! Fiquei imensamente feliz pelo convite, e me apaixonei pela Olívia! Uma mulher forte e sem medo de encarar aqueles que ela considera vilões, mesmo sendo parte da família. Olívia sem dúvida representa muita mulher de hoje em dia...

"Amor e Revolução" terá muitas histórias, além da história do Brasil em si. Muitos encontros e desencontros. Paixão, ódio, fuga, tudo que um folhetim necessita. E que delícia voltar a trabalhar com colegas que não via há tanto tempo e conhecer tantos outros que sempre considerei ídolos....Queria frisar também que trabalhar com Reynaldo Boury e sua equipe está sendo apaixonante!!

A vocês que estão assistindo e prestigiando, nosso muito obrigada. ;-)

Que essa novela siga de exemplo para que próximas produções desse gênero cheguem ao público. Que a telenovela brasileira não seja apenas entretenimento, mas um instrumento de educação. O Brasil é "jovem", mas já tem muita coisa pra contar...
 
Um beijo ! Até a próxima !

Patricia de Sabrit

TwitterFacebookCompartilhe

240 comentários |

"É realmente um presente fazer parte desse projeto"

Postado por Fábio Rhoden - (4/11/2011 às 22:10)

Autor: Fábio RhodenQueridos companheiros!

Falar de um tema delicado como este não é pra qualquer um. O SBT e o Tiago Santiago estão de parabéns pela coragem, por mostrar pela primeira vez em novelas esse período do Brasil. É realmente um presente fazer parte desse projeto e poder, junto com vocês, aprender mais sobre a história do nosso país. Sou imensamente grato a oportunidade de interpretar um personagem como o Bartolomeu, que como muitos jovens daquela época, está disposto a doar a própria vida pra ver seu país livre de injustiças e desigualdades. Aos novos amigos, diretores, colegas e a toda equipe, meus sinceros agradecimentos. Estou feliz e confiante com Amor e Revolução, e espero que todos vocês possam relembrar e se apaixonar muito com essa obra feita com muita dedicação e carinho.
 
Um beijo e muito obrigado a todos que torcem e acompanham. Vocês são os responsáveis pelo sucesso desse mais novo trabalho.
 
Fábio Rhoden
(Bartolomeu)

TwitterFacebookCompartilhe

80 comentários |

"Uma oportunidade de encontros e reencontros memoráveis"

Postado por Marcos Breda - (4/6/2011 às 21:55)

Autor: Marcos BredaMinha participação como Carlo em Amor e Revolução é curta, apenas nos oito primeiros capítulos. Mas é para mim uma oportunidade de encontros e reencontros memoráveis. Queria, antes de mais nada, agradecer a Tiago Santiago e Reynaldo Boury, pelo convite para participar deste trabalho tão especial. E também agradecer a oportunidade de conviver com os atores e a equipe desta novela, amigos e colegas de outros trabalhos, profissionais pelos quais tenho uma relação de grande respeito, carinho e gratidão.

Que Amor e Revolução seja um grande sucesso. E minha modesta homenagem ao Madureira, parceiro de longa data e que nos deixou tão prematuramente. Madú, esta é pra vc!

TwitterFacebookCompartilhe

106 comentários |

As expectativas são as melhores

Postado por Claudio Lins - (4/4/2011 às 15:30)

Autor: Claudio LinsPois é, gente. Tá chegando a hora! "Amor e Revolução" estreia nesta terça. Nós atores estamos muito ansiosos, não só pra vermos o resultado do nosso trabalho, mas também pra sabermos da reação do publico. As expectativas são as melhores, já que nesses 3 primeiros meses de gravação deu pra sentir que a novela tem pegada.

Alem do mais, teremos como pano de fundo uma passagem controversa da nossa história recente: a Ditadura Militar de 1964-1985. Espero que a novela cumpra o papel de despertar nas pessoas o interesse pelo tema. Pesquisem, estudem e se emocionem com a história do Brasil. Assim, cada um de nós terá a avaliação própria das acontecimentos pra criarmos um país cada vez melhor.

Abraço
Claudio Lins

TwitterFacebookCompartilhe

519 comentários |

conteúdo relacionado

publicidade

Seguidores